Cantinho da Elishi

Ritos Tibetanos

A Yoga vinda de shamballa “continente Ásiatico para o equilíbrio e a unidade da humanidade”

É verdade que todos estão sempre numa jornada em busca de uma vida mais feliz. Ninguém quer doença, pelo contrário, todos querem saúde. A humanidade caminha à procura do bem estar, da vitalidade. Durante essa busca incessante, uma seqüência de exercícios foi descoberta no Tibete e passou a ser conhecida como os 5 Ritos Tibetanos.


Os Ritos têm como propósito a estimulação dos chakras com o fim de equilibrar todo o sistema glandular, focando na concentração e alongamento. Os exercícios são simples e, sua repetição diária aumenta a força física e mental, criando um estado de consciência e tranqüilidade no praticante.
Os 5 Ritos Tibetanos aliviam o estresse nervoso, melhoram a respiração e a digestão além de muitos outros benefícios que são rapidamente percebidos.


Os exercícios podem ser vistos na imagem abaixo. É sugerido que se inicie com pelo menos 5 repetições de cada movimento, o que deve ir sendo aumentando a cada dia, visando chegar em 21 repetições diárias cada.



Rito 1 – Gira-se em sentido horário de olhos abertos com a cabeça voltada para frente.


Rito 2 - Deita-se de costas com os braços estendidos. Ergue-se então a cabeça até encostar o queixo no peito e levanta-se as pernas com os joelhos retos até que fiquem na vertical.


Rito 3 – Com os joelhos no chão e o corpo ereto, inclina-se a cabeça até encostar o queixo no peito e então leva-se a cabeça e todo o corpo para traz, firmando as mãos na parte posterior das coxas.


Rito 4 – Senta-se com as pernas estendidas, os pés separados e o corpo reto com as mãos no chão. A cabeça é inclinada para frente até que o queixo toque no peito. Leva-se, então, a cabeça para traz erguendo o corpo, dobrando os joelhos com os pés no chão e os braços estendidos. Termina-se com o corpo no formato de uma mesa, deixando o tronco e as coxas paralelas ao chão.


Rito 5 – Deita-se de bruços no chão, com os cotovelos flexionados e as palmas das mãos no chão. Ergue-se o tronco, apoiando-se nas palmas das mãos e nos dedos dos pés. Eleva-se o quadril até o corpo ficar com formato de “v” invertido.
Para realizar cada movimento, é necessário manter um bom nível de concentração e consciência corporal. Se estiver sentindo dor, reavalie o movimento, pois o exercício deve ser indolor.

Acompanhamento clínico

Redes Sociais